JHP2

PC/AL pede prisão de PM de Sergipe suspeito de atirar no namorado da ex-mulher em Penedo

Por Daniel Alves em 03/07/2022 às 08:04:14

Delegado Rômulo Andrade concluiu inquérito que investigava tentativa de homicídio

Militar não se apresentou ao comando da instituição da qual faz parte e já é considerado como foragido da Justiça

O delegado Rômulo Andrade, titular da Delegacia Regional de Penedo, concluiu o inquérito que investigada a tentativa de homicídio cometida por um Polícia Militar do estado de Sergipe, ocorrida em abril deste ano, na cidade de Penedo. Com a conclusão do caso, o delegado pediu à Justiça pela prisão do suspeito. Segundo a PC, o homem alvo dos tiros é namorado da ex-mulher do militar.

De acordo com o delegado, o pedido de prisão se dá pela tentativa de homicídio e também pelo descumprimento de medida protetiva de urgência, fruto de outro inquérito, já que o mesmo não podia se aproximar de sua ex-companheira.

No dia do crime, a ex-mulher do policial relatou que tem uma medida protetiva em desfavor do ex-companheiro e que já teria sido agredida diversas vezes por ele, de quem ela havia se separado há mais ou menos um ano.

Em relação ao pedido de prisão pela tentativa de homicídio, o juiz da 4ª Vara Criminal de Penedo atendeu à solicitação da Polícia Civil e expediu o respectivo mandado. No entanto, ainda segundo o delegado, o militar resolveu não se apresentar ao comando da instituição a qual faz parte e já é considerado como foragido da Justiça.

"Quando passamos a responder pela delegacia de Penedo, assumimos a presidência de 600 inquéritos instaurados nas gestões passadas e estamos tentando dar seguimento a todos. Nesse caso do militar, realizamos novas diligências e conseguimos concluir as investigações solicitando a prisão preventiva do policial pela tentativa de homicídio e descumprimento de medida preventiva", explicou.

"O policial já não podia portar arma de fogo, por força de outra decisão judicial da Vara Especializada de Penedo, nos autos da violência doméstica. Já informamos à Delegacia-Geral e a Secretaria de Segurança Pública de Alagoas a não apresentação do policial e da sua situação de foragido da Justiça, oportunidade em que diligências por parte da Polícia Civil de Alagoas estão sendo adotadas para cumprir com a ordem judicial", complementou Rômulo Andrade.

Ainda segundo o delegado, uma vez preso, o policial deve ser conduzido ao Presídio Militar, em Maceió, onde permanecerá à disposição da Justiça. No entanto, caberá à Polícia Militar de Sergipe a instauração de um processo administrativo para averiguar a deserção do policial ao serviço militar.

Comunicar erro
cosmetic shop

Comentários

MOTOCICLO