JHP2

Adolescente diz ter sido vítima de estupro coletivo; o abuso foi gravado e compartilhado nas redes pelos agressores

Por Daniel Alves em 07/11/2023 às 05:37:47

Vítima de estupro coletivo

A v√≠tima disse que foi violentada na casa de uma amiga, em Nova Iguaçu, por conhecidos. Ela j√° estava dormindo, na madrugada de sexta, quando pelo menos 9 rapazes chegaram, a acordaram e a obrigaram a beber.


Uma adolescente de 15 anos afirma ter sido estuprada por diversos homens na Baixada Fluminense na √ļltima sexta feira (3). Segundo a jovem, o abuso foi gravado e compartilhado nas redes sociais dela sem seu consentimento - ela mesmo ficou sabendo que foi estuprada pelos v√≠deos.

A jovem passou por exame de corpo de delito, que constatou violações.

A v√≠tima disse que foi violentada na casa de uma amiga, em Nova Iguaçu, por conhecidos. Ela j√° estava dormindo, na madrugada de sexta, quando pelo menos nove rapazes chegaram e a acordaram.

"Começaram a beber e a fazer desafios. Um deles era ficar com os meninos, e ela disse não. A√≠ ela ficou muito b√™bada, com certeza colocaram algo no copo dela. Eles premeditaram tudo", afirmou uma das irmãs.

De acordo com a fam√≠lia dela, dois deles, um de 20 e outro de 22 anos, a estupraram. Nos v√≠deos, ela aparece desacordada enquanto é violentada. Nas imagens é poss√≠vel observar que uma criança dorme na cama enquanto a jovem recebe tapas na cara. Outra menina, deitada na cama, assiste a tudo. "Gravou, cara? Depois tu me manda", disse um dos homens.

"O Instagram dela ficou aberto, e um menino de 17 anos a marcou [nos v√≠deos] com os outros meninos", emendou a irmã.

A v√≠tima é a mais nova de tr√™s irmãs. Uma delas contou ao g1 que só soube que a caçula tinha sido estuprada quando os v√≠deos apareceram.

"Ligaram para o meu serviço na sexta de manhã pedindo para eu busc√°-la. Encontrei com a boca espumando. Eu perguntei se eles tinham usado drogas, mas disseram que não. Foi quando eu recebi uma ligação perguntando se eu j√° tinha visto os v√≠deos na internet, eram os v√≠deos do que fizeram com ela. Foi assim que ela ficou sabendo e disse: "Como assim? Eu não lembro de nada disso!"", contou a irmã da v√≠tima.

Ela também afirmou que não conseguiu registrar o caso na pol√≠cia no fim de semana.

"A gente foi direto para a delegacia [a 58¬™ DP, na Posse] no s√°bado às 20h, e mandaram a gente levar ela para o hospital. Fizemos todos os exames e medicações e voltamos para a delegacia. Mas a√≠ ficamos até 3h [de s√°bado, 4], e não atenderam a gente, davam prioridade para as viaturas que chegavam da rua."

A irmã da v√≠tima conta ainda que, durante o per√≠odo de espera, ela começou a sentir efeitos colaterais do coquetel anti-Hiv que tomou no hospital. "O delegado não atendeu a gente e não finalizamos o Registro de Ocorr√™ncia", relatou.

Comunicar erro
cosmetic shop

Coment√°rios

JHP