JHP2

Assalto milionário cinematográfico em banco no Paraguai; brasileiros entre os meliantes

Por Daniel Alves em 12/02/2024 às 05:44:26

Imagens mostram criminosos levando caixas cheias de dinheiro em assalto no Paraguai.

Os investigadores descobriram que os ladrões colocaram o plano em prática no fim de 2022, utilizando um túnel de 180 metros que passa debaixo de um banco.

Em uma ação ousada em Cidade do Leste, na fronteira do Paraguai com o Brasil, bandidos construíram um túnel por mais de um ano sem que ninguém percebesse e roubaram milhões de um cofre de doleiros paraguaios.

O trabalho foi feito sem pressa, como mostram as imagens exclusivas obtidas pela reportagem. Nelas, é possível ver os criminosos deixando o local com caixas cheias de dinheiro. Tudo foi feito com muito cuidado, perto da rua mais movimentada da cidade e não chamou a atenção das autoridades paraguaias.

O alvo foi a Associação de Trabalhadores de Câmbio do Paraguai. No país vizinho, cambista são como são conhecidas as pessoas que trabalham negociando moeda estrangeira nas ruas. São doleiros que guardam dinheiro no cofre da associação, localizado em um ponto estratégico da cidade.

"Nunca (tinha acontecido) em 32 anos que temos um cofre", disse o presidente da associação, Walter Fernandez. Ao saber do assalto, ele revela que quase desmaiou.
Os investigadores descobriram que os ladrões colocaram o plano em prática no fim de 2022. A quadrilha alugou um imóvel e montou um negócio de fachada: uma loja que vendia camisetas esportivas durante o dia e, à noite, o lugar servia como base para construir o túnel, centímetro a centímetro.

O cofre roubado fica no subsolo de uma espécie de quiosque. Ao chegar lá, por baixo da terra, os criminosos quebraram uma parede lateral na sala do cofre. Tiveram acesso às 148 gavetas - que são cofres menores. Cada cambista paraguaio tem a sua.

Os bandidos levaram o dinheiro e até ouro de 120 delas.

"É inacreditável, como vai atravessar a rua? Três ruas, atravessaram, um edifício e um banco", fala o presidente da associação.

Ainda não se sabe exatamente quanto os ladrões levaram. As estimativas variam de US$ 2 milhões a US$ 16 milhões, o que chegaria ao equivalente a R$ 80 milhões. Essa diferença tem a ver com o que foi relatado pelos próprios cambistas.

A polícia paraguaia diz que apenas três doleiros procuraram a delegacia. O presidente da associação diz que os relatos de cifras mais altas podem prejudicar os cambistas - que teriam que comprovar a origem de todo esse dinheiro.

"As casas de câmbio são nossas adversárias. Então, estão aproveitando essa situação para nos deixar mal", contou.

Mas investigadores ouvidos pelo Fantástico acreditam que os bandidos não iam correr tanto risco e dedicar tanto tempo se não tivessem a certeza de faturar alto com a empreitada. Afinal, a obra foi complexa.

Comunicar erro
cosmetic shop

Comentários

MOTOCICLO