JHP2

Justiça aceita denúncia e torna réus suspeitos de monitorar vítima executada por disputas do jogo do bicho

Por Daniel Alves em 13/06/2024 às 06:43:01

Marcos Paulo Gonçalves Nunes

Ministério Público aponta que morte ocorreu para facilitar tomada de pontos da contravenção por Adilsinho. Fernando Marcos Ferreira Ribeiro, conhecido como Fabinho, foi morto em plena luz do dia na Tijuca em abril do ano passado.

A Justiça do Rio aceitou a denúncia do Ministério Público contra tr√™s suspeitos de participar do monitoramento de uma vítima da guerra entre bicheiros no Rio de Janeiro. O caso foi a execução de Fernando Marcos Ferreira Ribeiro, conhecido como Fabinho, em 6 de abril de 2023.

Foram denunciados e se tornaram réus Marcos Paulo Gonçalves Nunes, preso em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense; Allan dos Reis Matos, policial militar do 15¬ļ BPM (Duque de Caxias) que j√° estava preso; e Vitor Luis de Souza Fernandes, preso no Engenho de Dentro, na Zona Norte do Rio.

Fernando, de acordo com as investigações, era ligado ao contraventor Bernardo Bello, que tinha controle sobre os pontos do jogo do bicho na região da Tijuca na época do crime.

De acordo com a denúncia, o crime foi praticado para tomar os pontos da contravenção para o bicheiro Adilson Oliveira Coutinho Filho, o Adilsinho.

"Na guerra pela expansão territorial visando tomar com viol√™ncia extrema os pontos nas Zonas Sul e demais bairros do Rio de Janeiro , os denunciados operam ora diretamente para dissuadir os gerentes e operadores do jogo ilícito chefiados pelo bicheiro Bernardo Bello , ora realizando o monitoramento dos advers√°rios para a sua execução, como no caso dos autos", disse o promotor da 1¬™ Promotoria de Justiça de Investigação Penal Especializada do Centro do Rio, respons√°vel pela denúncia.

Quem foram os presos

Allan dos Reis Mattos foi preso por porte de arma ilegal durante as investigações do crime. Em seu carro, a polícia encontrou armas de numeração raspada.

Os outros 2 presos são Marcos Paulo Gonçalves Nunes, pego em Duque de Caxias, e Vitor Luis de Souza Fernandes, capturado no Engenho de Dentro. Ao g1, Vitor disse ser inocente.

A Delegacia de Homicídios tem indícios de que ambos participaram do monitoramento à vítima. Vídeos obtidos pela polícia mostram Fernando sendo seguido em Copacabana, na Zona Sul do Rio de Janeiro, 1 dia antes de ser assassinado. Allan aparece nas imagens de câmeras de segurança.

Comunicar erro
cosmetic shop

Coment√°rios

JHP