JHP2

"Temos três ministros que infernizam o país: Fachin, Barroso e Moraes", diz Bolsonaro

Por Daniel Alves em 21/05/2022 às 16:22:47

O presidente Jair Bolsonaro (PL) explicitou, na sexta-feira, 20, que o Brasil possui ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) que "infernizam" a vida do país. "Infernizam não o presidente, mas a democracia do País. [Edson] Fachin, [Luís Roberto] Barroso e Alexandre de Moraes", pontuou o mandatário.

Após a manifestação, o comandante do Planalto direcionou as críticas a Moraes. "Ele se comporta o tempo todo como um líder de partido de esquerda, de oposição. E por que essa ação? Esse inquérito da fake news? Primeiro que fake news não existe. Nos acusam de gabinete do ódio. Me apresenta uma matéria. "Olha, essa matéria acho que nasceu do gabinete do ódio". Não tem", argumentou.

O chefe do Executivo também se opôs à "parcialidade" do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). "Não cabe ao presidente do Congresso proteger o poder Judiciário. Não vou negar, que eu esperasse, que ele, [Pacheco], fosse ser tão parcial como está sendo".

Mourão diz que Moraes é parcial e defende reação de Bolsonaro

O vice-presidente Hamilton Mourão chamou nesta sexta-feira, 20, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes de "parcial" e defendeu as ações do presidente Jair Bolsonaro (PL) contra o magistrado. "Acho que o presidente está usando as armas que a justiça lhe dá.

Uma vez que você considera que um magistrado está agindo parcialmente em relação à sua pessoa, você tem essas armas para utilizar", declarou a jornalistas no Palácio do Planalto. "Eu considero [parcial]. Acho que está havendo uma certa disruptura nisso aí, né? Então eu concordo que o presidente utilizou os instrumentos que tinha à disposição", acrescentou.

Bolsonaro apresentou uma notícia-crime no STF e pediu que Moraes fosse investigado por abuso de autoridade. A ação foi rejeitada pelo ministro Dias Toffoli. Após a negativa, o chefe do Executivo acionou a Procuradoria-Geral da República (PGR).

Mourão, no entanto, não acredita que a ação prospere. "Depende do que o procurador Aras vai julgar a esse respeito. Supremo já mandou de volta, acho difícil que prospere", opinou.

Comunicar erro
cosmetic shop

Comentários

MOTOCICLO